Sua existência gera vida ou agrava a destruição?

Por Carol Neves

Essa foi a pergunta que me fiz pela primeira vez em 2006, quando fazia um mochilão sozinha por 11 países na Europa. Viajar sozinha é uma jornada profunda para dentro de si. Eu tinha 25 anos e foi a primeira vez que mergulhei pra valer na pergunta que poucos se fazem, mas que incomoda tanta gente, mesmo que inconscientemente: O que afinal estou fazendo nesta Terra?

As perguntas foram minhas maiores companheiras nessa viagem e me fizeram questionar meus hábitos e práticas diárias. Um caminho que começou naquele momento e que ainda segue vivo aqui dentro. E é pra esse caminho que te convido aqui e agora nesse blogpost, vem comigo?

Movimento RegenerAÇÃO

Sua existência gera vida ou agrava a destruição? 15 anos depois essa pergunta continua me perseguindo. Resolvi então lançar um movimento, um movimento dos inconformados com a forma que nossa sociedade enxerga a Terra (como um recurso e não como a Mãe amorosa e abundante que ela é). Um movimento de pessoas despertas que querem SER a mudança: O Movimento regenerAÇÃO.

Sustentabilidade X Regeneração 

A palavra sustentabilidade, já tão gasta no nosso vocabulário e utilizada por tantas e tantas iniciativas que estão interessadas apenas no “marketing verde”, já não é suficiente para descrever as práticas urgentes e necessárias que precisamos abraçar para que seja possível continuar existindo como humanidade nesta Terra. 

Já ultrapassamos todos os limites como filhos e filhas mimados dessa Mãe tão generosa que é a Terra. E ela começa a responder à altura das nossas necessidades infinitas e egoístas. Sustentabilidade não é mais o tema importante e necessário que costumava ser. É preciso regenerar, repor, refazer, recuperar e não dá mais pra ficar na teoria e no fake marketing das grandes empresas predatórias. É preciso chamar para si essa responsabilidade. Sim, pra você mesme que me lê neste momento.

Autorresponsabilidade é a luz no fim do túnel

Eu já não acredito em uma mudança que venha de “cima”: do governo, de grandes corporações, grandes indústrias. Acredito na mudança que vem de você e de mim e sei que juntes temos um poder enorme nas mãos: O poder de consumo! Essa é a nossa poderosa arma nessa grande e urgente revolução!

A carne nossa de cada dia

Pensa comigo, se você, eu e todo mundo deixarmos de comer carne por exemplo (eu já não como há 15 anos, e você?), reduziríamos inúmeros problemas ambientais, além de contribuirmos para a redução da fome no mundo, sabia? A quantidade de alimentos produzidos no mundo é mais do que suficiente para alimentar todas as pessoas que aqui habitam, mas grande parte dos grãos produzidos, por exemplo, é usada para alimentar os animais a serem abatidos.

De acordo com Laura Ordóñez, cientista ambiental e professora da Escola Internacional de Naturopatia, em Granada, na Espanha,“para produzir um filé de 200 gramas, são necessárias cerca de 45 bacias de cereais. Produzir carne é algo muito custoso, e seria mais eficiente alimentar as pessoas com os cereais que se destinam a engordar o gado”. 

Também economizaríamos uma quantidade absurda de água, pois, enquanto para cultivar 1 quilo de milho são necessários 1.500 litros de água, para se ter 1 quilo de carne são consumidos 15.000 litros. E você achando que tomar banho de 1 minuto é a solução para o problema mundial da água, né? Vem cá, vamos aprofundar um pouco mais na mudança de hábitos tão simples e poderosos para a nossa revolução regenerATIVA. 

"Seja você a mudança que você quer ver no mundo"

Gandhi foi muito feliz ao proferir essas palavras, e elas nunca foram tão urgentes. E se você chegou até aqui neste texto, é porque está realmente interessade em fazer parte desse movimento, certo? A partir daqui, eu quero te convidar a avaliar várias áreas da sua vida e te ajudar a fazer melhores escolhas. Quando a gente se pergunta se nossas escolhas geram vida ou agravam a destruição, o peso da decisão aumenta porque dificilmente alguém se sente feliz em assumir pra si mesme que está destruindo o planeta, escravizando pessoas e outros seres e prejudicando a engrenagem geradora da vida. 

Então o primeiro passo é assumir, olhar pra si e perceber em que ponto da sua caminhada você está.

A hora da verdade

Então prepare-se pra responder algumas das perguntas que eu comecei a me fazer lá atrás, naquele meu mochilão na Europa e que, aos poucos, transformaram completamente a minha jornada. 

  • Você separa seu lixo? Destina corretamente para cooperativas de catadores?
  • Consome alimentos orgânicos e agroecológicos, livres de veneno?
  • Você recusa sacolas plásticas no supermercado?
  • Evita, a todo custo, produtos que contenham embalagens plásticas?
  • Paga mais caro por produtos com embalagens compostáveis ou menos prejudiciais à Terra, ou deixa essa “dívida” na conta do planeta?
  • Prioriza cosméticos e produtos de higiene naturais de verdade e livres de ingredientes prejudiciais para você e para a Terra?
  • E nos cuidados domésticos, utiliza materiais de limpeza naturais e biodegradáveis?
  • Você tem composteira ou minhocário em casa (para transformar seus resíduos orgânicos em alimento para a Terra)?
  • Você já deixou de comer carne?
  • Dá preferência para transportes coletivos ou bicicletas quando vai se deslocar pela cidade?
  • Conhece e pratica o Minimalismo?
  • Quando vai comprar roupas, prefere brechós e roupas de segunda mão?
  • Pode garantir que as roupas que você compra não são fonte de trabalho semi escravo?
  • Procura saber a origem de tudo o que consome?
  • Lê os rótulos do que compra pra garantir que são seguros pra você e pra Terra?
  • Leva seu kit com copinho e talheres na bolsa pra não ter que usar nada descartável?
  • Quando faz uma festa, planeja de forma a gerar a menor quantidade possível de lixo?
  • E se você menstrua, utiliza absorventes de pano, coletores ou calcinhas menstruais?
  • E quando vai construir, utiliza técnicas de bioconstrução?
  • Você sabe que tipo de empresa e pessoas o seu dinheiro nutre?

Parece demais, mas é só o básico

Talvez essas perguntas tenham atordoado você. Sinto muito, não foi minha intenção. O objetivo aqui é te mostrar o que você, com seu enorme poder de consumo e de escolha pode fazer em benefício da Terra e de si. E essa é só a pontinha de um enorme iceberg chamado Movimento RegenerAÇÃO!

Se isso parece muito distante da sua realidade atual, não se preocupe, eu tô aqui pra te apoiar. E nós já somos muites nessa revolução individual, silenciosa e extremamente poderosa. Basta se colocar a caminho, dê o primeiro passo que o chão vai surgindo embaixo dos seus pés. 

Mudar hábitos não é tarefa fácil, eu sei, exige vontade e muito esforço, mas com coragem, um passo de cada vez, com ritmo e sem pausa, quando você menos espera, percebe que já incorporou novas e lindas regenerAÇÕES em sua vida! Vamos?

  

----------------------------------------------------------------------------

Crédito Imagem: Raquel Maia