Dia dos Namorados e o autoamor

Por Gailesh e Clarissa Cruz

Dia dos Namorados chegando e não podemos perder a oportunidade de falar sobre o amor. Assim como qualquer coisa viva, ele precisa ser alimentado para se desenvolver em toda sua plenitude. Não tem como fugir, primeiramente, precisamos ter o autoamor bem nutrido para, então, conseguirmos amar uma outra pessoa com respeito e dedicação. E, para ambos os casos, precisamos trabalhar nossos hábitos.

É provável que muitas pessoas tenham o amor próprio inerentemente bem trabalhado e que, por isso mesmo, compartilhem esse amor de forma muito natural. Mas quem não tem esse privilégio pode se trabalhar para expandir o coração, receber e pulsar esse amor. Certamente que isso vale para qualquer época do ano e da vida, o dia 12 de junho é só mais um motivo para refletirmos a esse respeito.

Então vamos lá?

Namorar é bom demais!

Muitas pessoas acreditam que namorar é coisa de jovens ou de casais apaixonados, você também vê dessa forma? Será que podemos namorar com nós mesmas e, assim, darmos amor aos nossos corpos físico, emocional e mental? É claro que podemos, na verdade, até devemos trazer práticas de autocuidado e autoamor para o nosso dia a dia. Sabe por quê?

Porque quando cuidamos de nós mesmas, enviamos uma informação muito importante para o nosso cérebro e para o nosso subconsciente de que somos importantes e temos valor. Isso aumenta a autoconfiança e a autoestima. E uma vez estando bem nutridas, temos energia e amor de sobra para compartilhar com familiares, amigas e com os serviços que queremos prestar ao mundo.

Como nutrir o amor

É tão bonito quando vemos relações duradouras, com a chama do amor viva e atuando em pequenas ações e instantes especiais. Porque namorar não se restringe a beijar na boca e ter relações mais íntimas. Até mesmo uma pausa nas demandas e funções cotidianas para, simplesmente, aproveitar a companhia de quem se ama é uma forma especial de namoro.

Namorar também é: 

  • fazer um alimento;
  • dar um presente num dia qualquer; 
  • oferecer uma palavra de carinho;
  • tocar a pessoa amada amorosamente;
  • escutar de ouvido e coração abertos;
  • olhar nos olhos com a intenção de amar;
  • dançar, dançar e dançar (juntinho com alguém ou sozinha, claro!)...

O fato é que para sentir aquele prazer de namorar, seja com o outro ou consigo mesma, é realmente necessário nutrir o que mantém o amor vivo. Porque, como dissemos no início, o amor é uma coisa viva, que precisa estar bem alimentada para continuar existindo. Estar consciente disso é um primeiro grande passo que podemos dar.

"Não estou namorando ninguém"

Muita gente sofre quando vai chegando o Dia dos Namorados por não estar numa relação. Mas… e se você aproveitar para, ritualisticamente, amar a si mesma? Sim, arrume-se para você mesma, enfeite seu quarto com flores e aromas especiais e se aprofunde nos seus próprios e mais íntimos prazeres. Por que não?

Lembre-se que o autoamor, o namoro consigo mesma, fortalece não apenas sua jornada pessoal, como também sua entrega em todas as relações. Você se abre e universo capta a informação. Pare tudo e se permita viver o amor nas coisas simples da vida, e como estamos falando de namoro, aproveite as pausas para se dar carinho, atenção, conforto e prazer.

Neste Dia dos Namorados, super indicamos a Linha Mulher do Fogo da Pachamama para uma sessão de autoamor ou de amor acompanhado. Você sabia que o Óleo Corporal Mulher do Fogo, além de aumentar sua libido, hidratar sua pele, trazer uma energia nova de poder e sensualidade, ele também é lubrificante íntimo? Aproveite esse dia com bastante fogo e amor pra dar e receber!

Quer saber mais sobre o poder da libido? Temos um texto maravilhoso com dicas bem especiais!

 

----------------------------------------------------------------------------

Crédito Imagem: Raquel Maia